segunda-feira, 6 de maio de 2019

Faltam medicamentos e profissionais na Policlínica do Centro de Florianópolis

Desabastecimento e horário reduzido prejudicam o atendimento


Desoladora a situação da Policlínica do Centro de Florianópolis. Semanas atrás, uma médica pediu demissão, desarranjando toda a agenda de pacientes.

Há dias que a vacinação contra a febre amarela e a entrega de medicamentos básicos é feita só até as 13h por não ter funcionários na parte da tarde. Pior: vários remédios acabaram, os pacientes são obrigados a comprar diante do desabastecimento.

Na quinta-feira passada, não houve vacinação contra a gripe por falta de vacinadores. Sexta-feira, só uma profissional atendia a demanda que não era pequena. As senhas terminaram por volta das 15h30 e muita gente foi lá à toa.

A espera pelo atendimento era de, aproximadamente, meia hora – rápido, se considerarmos que tinha apenas uma funcionária na porta, uma no computador e uma na aplicação.

Por: Marcos Cardoso | Fonte: ND+