quarta-feira, 12 de setembro de 2018

Remédio usado para tratar déficit de atenção e hiperatividade está em falta no DF


A Ritalina, medicamento usado no tratamento do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, está em falta nas principais farmácias do Distrito Federal há, pelo menos, três meses.

O estoque da rede pública de saúde também está zerado desde o final de agosto. A Secretaria de Saúde do Distrito Federal garantiu que o remédio será reposto até a próxima semana, porque o produto já foi comprado.

O psiquiatra e coordenador do grupo de apoio à portadores e familiares de Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade da Associação Brasileira de Déficit de Atenção em Brasília, José Miguel Neto, esclarece a importância da Ritalina no tratamento dos portadores da doença.

A reportagem ligou em três das principais redes de drogarias da capital, e todas afirmaram que a Ritalina está em falta nos estoques há meses. Em algumas farmácias, existe apenas a versão mais cara do medicamento, a Ritalina LA, de liberação prolongada. Essa versão do remédio custa mais de R$ 230. Já a Ritalina comum, de 10 miligramas, tem o valor médio de R$ 33.

Uma das farmácias garantiu que existe a previsão de chegada, nos próximos dias, de nove caixas da Ritalina comum, mas disse que seis já estão reservadas.

Segundo a Novartis, laboratório que fabrica o medicamento, o abastecimento de Ritalina está sendo reestabelecido desde agosto, pois os medicamentos estão em fase de faturamento desde o dia 24 de julho.

A empresa também garantiu que está tomando todas as medidas possíveis para garantir o fornecimento regular do remédio.

Por: Dayana Vitor | Fonte: Radioagência Nacional