Ajude o Banco de Remédios

sexta-feira, 23 de março de 2018

Café, um excelente aliado à sua saúde!

Mas vamos com calma, a diferença entre o remédio e o veneno está justamente na dose, de nada vai adiantar exagerar!


Café, uma das bebidas mais apreciadas e consumidas no mundo, capaz de trazer inúmeros benefícios à saúde se consumido de forma moderada e individualizada.

Estudos recentes apontam a relação do consumo do café com:

  • Redução e prevenção da depressão;
  • Auxílio no tratamento de diabetes tipo 2 (uma vez que o consumo aumenta os níveis de adiponectina, hormônio produzido pelo tecido adiposo que auxilia a insulina a sinalizar corretamente a utilização da glicose pelas células – que é justamente a dificuldade do metabolismo dos diabéticos). Mas como foi dito, é um auxílio que está sendo estudado mais profundamente, nada que descarte todos os cuidados gerais relacionados à doença e ao estilo de vida que precisa ser levado;
  • Potencial efeito antioxidante (evita a formação de radicais livres, que favorecem o envelhecimento celular e prevenção de câncer) devido aos variados polifenois e flavonoides que possui;
  • Prevenção da oxidação do colesterol LDL (colesterol “ruim”) que auxilia negativamente na formação de placas de ateroma;
  • Efeito positivo na velocidade de codificação e processamento mental, devido ao poder estimulante da cafeína, ou seja, auxílio cognitivo;
  • Menor incidência de Parkinson e mal de Alzheimer;
  • Proteção das funções renais, devidos aos compostos bioativos presentes, atuam protegendo a função endotelial e reduzindo a inflamação.

Depois de ler todos esses benefícios, tenho certeza que você que já tem o hábito de consumir o café vai continuar (ou pensar em aumentar) e quem ainda não consome, vai com certeza pensar em começar. Mas vamos com calma, a diferença entre o remédio e o veneno está justamente na dose, de nada vai adiantar exagerar!

1° – O café deve ser consumido puro, sem açúcar ou adoçantes. O gosto dele é amargo e isso não deve ser alterado. É preciso aprender a saborear os alimentos na sua  forma natural, caso contrário, é melhor não consumir e o café se enquadra perfeitamente nesse conceito. Se você tem o hábito de consumí-lo adoçado, te desafio a fazer o teste de tirar de uma vez por todas esse ingrediente extra por 5 dias consecutivos, se ao final dos 5 dias você não tiver se acostumado, aí sim pode pensar em abolir da sua rotina. Os malefícios extremos que a dose diária (ou várias, se você tomar uns 3 cafés por dia, por exemplo) de açúcar e adoçante vão causar para sua saúde, vão com certeza se sobrepor aos benefícios que o café lhe traria. Mas saiba que em 7 anos de consultório, eu nunca vi alguém que não se acostumou com ele purinho e não passou a amar!

2° – Dê preferência para o café coado ou prensado e, melhor ainda será se ele for coado no pano (coador de pano). O café espresso possui uma certa contaminação pelo metal presente dentro das cápsulas após ser submetido ao calor no preparo e, a ingestão diária desse metal não trará benefícios a longo prazo. O mesmo acontece com o coador plástico, após entrar em contato com a água quente no preparo, o plástico libera bisfenol-A, substância nociva à sua saúde.

3° – Existe uma dose diária recomendada, que varia entre 1 a 4 xícaras de café ao dia. Mas tudo vai depender de diversos outros fatores individuais, como qualidade do sono, sensibilidade à cafeína (o recomendado é de até 7,5g diárias para indivíduos saudáveis, lembrando que diversos outros alimentos possuem cafeína – chás, bebidas a base de cola, energéticos, chocolates e alguns medicamentos), melhores horários a ser ingerido (muitas vezes até como estratégias de estímulo ou prevenção do mesmo), entre outros.

4° – Sabe aquele cafezinho sagrado após o almoço? Então, precisamos ter um pouco de atenção e cautela. Alguns estudos mostram que a cafeína atrapalha a absorção de cálcio, ferro e vitamina C. Então o ideal é esperar no mínimo uns 20 minutinhos após a refeição para ingerir.

Podemos concluir que o café é maravilhoso em diversos aspectos e pode trazer diversos benefícios à saúde. Sendo assim, faça bom proveito de todas as informações aqui disponibilizadas!

Por: Andressa Marchi – Nutricionista (CRN/1 7555) | Fonte: Jornal de Brasília