segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

Remédios não entregues a hospitais do RJ perdem validade e vão pro lixo

MPE-RJ investiga uma nova denúncia de corrupção na área da saúde. Segundo as investigações, esquema envolve contratações irregulares


O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro investiga uma nova denúncia na saúde. César Romero, subsecretário da pasta no governo de Sérgio Cabral fez uma colaboração premiada e contou como um decreto de emergência na saúde pública em 2007 abriu caminho para um esquema de corrupção. Alguns personagens dessa história são conhecidos: o ex-governador Sérgio Cabral, o ex-secretário de Saúde Sérgio Côrtes e Arthur Cesar de Menezes Soares Filho, que chegou a ter R$ 3 bilhões em contratos com o estado. Na época, a empresa TCI foi contratada por R$ 51 milhões ao ano para gerir a compra e distribuição de remédios e evitar desperdícios. No primeiro ano de contrato, as perdas foram de R$ 7 milhões. Veja a reportagem completa no vídeo acima.

Fonte: G1